O que é gravura?

TÉCNICAS DE GRAVURA


GRAVURA EM METAL


Clara Pechansky
Gravura em Metal
 

Gravura feita a partir de uma matriz de metal, geralmente o cobre. Este é trabalhado diretamente pelo buril, instrumento de aço com uma ponta cortante em forma de V ou através de agulhas que risquem a chapa. Impressão: a tinta é depositada por "boneca" de couro com uma certa pressão circular em toda a superfície da chapa ligeiramente aquecida. Esta tinta é retirada das superfícies altas por tecido de trama larga, que em movimentos circulares, e não atingindo as partes baixas, deixa intacta a tinta dentro dos traços feitos pelo buril e/ou agulhas. Esta tinta é transferida para o papel através de prensa. Quando usada a técnica chamada de água-forte, a chapa é protegida por cera ou verniz. Em seguida faz-se o desenho e a chapa é mergulhada em ácidos (em geral utiliza-se ácido nítrico), que entrando em contato com as partes descobertas "rói" o metal criando manchas e traços esburacados. O processo de impressão é o mesmo usado em técnicas de buril. Era comum se valorizarem as primeiras cópias da numeração, assim uma 1/50 teria mais valor que uma 50/50. Dava-se como justificativa que, na gravura em metal, com a continuação da tiragem, por fricção da limpeza da tinta e pressão da impressora, a chapa iria se gastando e as cópias perderiam a qualidade, com um bom artista gravador isto está longe de acontecer, pois ele sabe fazer sua gravação de acordo com o número de cópias a imprimir.

SERIGRAFIA


Paulo Amaral
Serigrafia
 

Processo de impressão em que a matriz é uma tela de seda esticada por um bastidor, sobre a qual são fixadas máscaras (recortes) nos lugares onde a imagem deve receber tinta. Essas máscaras podem ser dos mais diversos materiais, como filme de corte, fotolito, papel ou goma. A tinta é espalhada por um rodo ou puxador (Lâmina de borracha fixada a um suporte de madeira), fixando a imagem no papel. Imprime-se uma cor de cada vez.

 

LITOGRAVURA


Miriam Tolpolar
Litografia

Ou litografia. Processo de impressão no qual a imagem é executada com um lápis ou tinta gordurosa sobre uma pedra calcária (pedra litográfica perfeitamente desengordurada, uma solução ácida fixa a gordura à pedra). Atualmente se usa também como matrizes chapas de metal, embora a litografia artística clássica seja toda ela sobre pedra. O principio da repulsão entre a gordura à tinta, e vice-versa, é que garante a impressão. A Impressão é feita em prensa litográfica molhando-se a pedra a ser entintada. A parte sem gordura absorve a água, ficando úmida, a engordurada repele-a. Ao se passar à tinta, onde há desenho, a pedra se mantém engordurada e a tinta é retida. Na parte sem desenho, que está úmida, a tinta é recusada.

XILOGRAVURA


Arlete Santarosa
Xilogravura

      Gravura em que a matriz é um topo (pedaço) de madeira. E a mais antiga forma de gravar utilizada pelo homem. O taco de madeira, do mesmo tamanho do desenho a ser gravado, é polido para receber o desenho, que é cavado, nas partes brancas, por instrumento cortante como a goiva, o formão ou canivete. A madeira alta, não cortada pelo gravador, é que vai receber a tinta por intermédio de um rolo. Esta será transferida para o papel. Quando bem impressa, os pretos devem conservar as características da fibra e nervuras da madeira.